11/07/2016 por Vithor Luciano

Pokémon GO! Saiba mais sobre o game dos monstrinhos mais adorados do planeta

O Pokémon Go desafia jogadores a caçar personagens no mundo real, por outro lado, obriga indiretamente os usuários a fazerem execício procurando personagens. O game chegará ainda este mês ao Brasil

Esse joguinho está causando um onda de ansiedade em todo o mundo! É o Pokémon Go, a franquia Pokémon está voltando com tudo e o game já foi lançado em alguns países, como os Estados Unidos e a Austrália.

Aqui no Brasil, a data de lançamento está prevista para o dia 22 de julho. O Pokémon Go está sendo lançado tanto para iPhone, iPad (iOS) quanto para Android, ainda sem previsão de chegada para Windows Phone.

O gameplay utiliza dados de localização para introduzir os Pokémons no mundo real. Assim, o jogador pode capturar, trocar e usar em batalhas com amigos. O game contará também com o Pokemon Go Plus, uma pulseira que promete ajudar o jogador na jornada para se tornar um mestre Pokémon. Além disso, o download do aplicativo totalmente gratuito, mas com compras dentro do app, os preços dos itens variam entre R$ 3,19 a R$ 389,99.

Come on Pokémon GO!

Desde a última quarta-feira (6), dia do lançamento do novo jogo de realidade aumentada Pokémon GO nos Estados Unidos, fãs brasileiros estão ansiosos para a disponibilização do game para o país.

Tanto que subiram no Twitter a hashtag #WeWantPokemonGoInBrazil, em que pedidos e até memes, exigem a urgência da disponibilidade do joguinho por aqui. A espera é tanta que muitos passaram a baixar o jogo errado. Ao procurar pelo nome Pokémon GO, um outro aplicativo é sugerido na App Store, e nada tem a ver com a novidade.

O interesse pelos personagens de um dos animes mais populares do fim dos anos 1990 alavancou o valor das ações da Nintendo, que saltaram 10% na última sexta-feira (8), dando um valor de mercado à empresa de cerca de US$ 23 bilhões. Além de dar fôlego à Nintendo, que há cinco anos só estava vendo queda nos lucros.

13631454_633395900162445_1646464539672294657_n

Gameplay do Pokémon GO, o novo jogo da franquia dos monstrinhos mais adorados do planeta (Foto: Divulgação)

Haja Folego!

Além da Nintendo, o game também fez os usuários a terem fôlego. Cada jogador precisa capturar personagens do desenho, como o Pikachu e Squirtle, e depois treiná-los. Para isso, o usuário usa a câmera do smartphone e o GPS para encontrar, no mundo físico, os pequenos monstros.

Por exemplo, uma pessoa vai andando de boa na rua à procura com sua câmera e quando de repente, um Pokémon aparece na tela do celular. Essa aventura virtual tem levado a situações bizarras nos locais onde o game está disponível.

Pulseira Pokémon Go Plus (Foto: Divulgação /Nintendo)

A polícia de Darwin, na Austrália, pediu aos jogadores que não entrem em sua sede, que é uma “Pokestop” no jogo. Aficionados também receberam alertas para que olhem aos dois lados da rua na hora de atravessar.

O mais surpreendente foi um jogador que relatou ter encontrado um cadáver (de verdade) enquanto caçava Pokémons. Outro encontrou um monstrinho ao lado de um funeral.

Ciente da confusão e, claro, considerando mais um lucro, a Nintendo lançará um acessório chamado Pokémon Go Plus, que avisa aos jogadores quando estão perto de um objetivo para que não fiquem colados na tela do celular.

O dispositivo será lançado no fim de julho e custará US$ 35 (R$ 116 em conversão direta, sem impostos) nos Estados Unidos.

Um gostinho de como é o game…

Como já disse anteriormente, o Pokémon GO já pode ser baixado em alguns países, mas não no Brasil (por enquanto!), o game pesa 58 MB no Android e 110 MB no iOS.

Após se registrar no game, a caça começa, o primeiro de tudo é que não é tão difícil capturar pokémons. Em um curto espaço de tempo, cerca de uma hora brincando, até dentro de casa, jogadores relataram quem foi possível capturar até 10 pokémons. O que facilita a caça também é um item chamado Incenso que aparentemente atrai os pokémons para perto, fazendo com que o usuário possa capturá-los com mais comodidade.

b6dihmcfc2cez9b6q0lo

As pokébolas são limitadas, mas sempre que o jogador subir de nível vai receber algumas. O número de pokébolas não é tão grande, mas logo nos primeiros níveis o usuário recebe entre 10 e 15 pokébolas. O usuário também pode tirar fotos de pokémons com a câmera do smartphone, além de já iniciar o game com uma encubadora.

Já a loja do game, que é um pouco exagerada, o jogador pode comprar um pacote com 100 moedas por R$ 3,19, ou então um de 14.500 moedas por apenas R$ 389,99, convenhamos só um fã muito doido e com muita grana sobrando pra fazer isso. Na loja, o usuário também pode comprar os “Ovos da Sorte”, onde um pokémon aleatório é chocado, além de oferecerem pacotes com incensos e pokébolas.

where-are-the-pokemon-go-gyms-in-your-neighbourhood-find-out-with-this-handy-map-1051083

Para achar pokémons tem que andar muuuito! (Foto: Divulgação)

Também não é tão complicado avançar nos primeiros níveis, mas para entrar no ginásio o usuário precisa atingir o nível cinco. O mapa do game também indica alguns pontos onde existem pokémons, e vai mostrar fotos de lugares específicos para que o jogador possa identificar onde encontrá-los, isto aqui é uma das coisas mais bacanas do game.

Nas configurações do game é possível ativar um modo de economia de energia, até porque o jogo vai te enviar notificações sempre que o jogador passar perto por um pokémon.

Também é possível enviar os pokémons para o professor, e em troca ele te dá alguns brindes.

Até o Detran do Rio de Janeiro entrou na onda do Pokémon Go (Foto: Divulgação)

Até o Detran do Rio de Janeiro entrou na onda do Pokémon Go (Foto: Divulgação)

Outra coisa bacana é que o jogador pode dar apelidos aos pokémons que já foram capturados, mas convenhamos que é muito mais legal ter os nomes próprios deles na tela.

Não podemos esquecer dos polêmicos Pokéshops, que são pontos espalhados pela cidade para os jogadores encontrarem. É como fazer check-in pelo Foursquare ou Facebook, mas com uma diferença básica: cada check-in em um destes locais pode render alguns brindes bem interessantes ao jogador.

Vale lembrar que não é preciso realmente “entrar” nos PokéStops. Afinal, em alguns casos, por exemplo, eles podem estar marcados em locais particulares, então basta chegar perto. O mapa vai indicar quando for possível interagir com eles.

O Pokémon Go diverte com mecânica simples e bons gráficos, a Nintendo, busca uma reposição estratégica à medida que o nicho de consoles, se torna obsoleto diante dos jogos on-line. Não esqueçamos que foi a Nintendo que lançou o jogo mais comercializado de videogames do mundo, o nostálgico Mario Bros.

Em maio, o presidente da Nintendo, Tatsumi Kimishima, afirmou que a marca pretende entrar também na indústria cinematográfica. Em 2015, o lucro da Nintendo caiu 61%, quinto ano consecutivo de queda. As vendas digitais, no entanto, melhoraram em relação a 2014: foram 44 bilhões de ienes (cerca de R$ 1,4 bilhão) na comparação com os 31 bilhões (cerca de R$ 998 milhões) arrecadados no ano anterior.

Quando a bateria do celular estiver acabando...

Quando a bateria do celular tá acabando…


Vithor Luciano
Graduando em Publicidade e Propaganda pela Fanor DeVry, diz que "entrou para o jornalismo de gaiato". É apaixonado por carros e tecnologia, chegou a cursar engenharia mecânica, mas a vida o levou para os caminhos da comunicação social.

Começou na comunicação aos 12 anos de idade, sendo ajudante de produção nos programas de rádio de seu pai, Luciano Filho, na Ceará Rádio Clube. Atualmente faz parte do departamento comercial da Rádio A3 FM 91.3, emissora pertencente ao grupo A3 Entretenimento.

"A única estratégia que sempre falha é não assumir riscos."

Notícias relacionadas

Deixe aqui seu comentário