03/07/2016 por Márcio Bastos

Game of Thrones – 6ª Temporada

Uma temporada que marcará para sempre a história da televisão

Cena da Batalha dos Bastardos. (Foto: Divulgação)

Cena da Batalha dos Bastardos que acontece na sexta temporada de Game of Thrones. (Foto: Divulgação)

Um dia desses, uma amiga meio incrédula veio desabafar nas redes sociais que não entendia tanta comoção por uma série de TV. Pois é, assim como existem lobos gigantes, dragões e mortos-vivos no mundo de Westeros, por incrível que pareça também existem curtidores de seriados que nunca se envolveram com o fantástico universo televisivo inspirado nos livros de George R.R. Martin.

É realmente uma pena, pois não fazem ideia do que estão perdendo. E tomando por base esta 6a temporada, com momentos que marcarão a história da televisão, lamento informar aos HERÓIS DA RESISTÊNCIA que a perda é enorme.

Grande fenômeno da cultura pop na atualidade, a recente temporada de Game of Thrones pode TIRAR ONDA como a melhor de todas já produzidas, trazendo sucessões de acontecimentos que apontam de forma clara para outros tão aguardados pelos fãs. Mais do que isso, sem ficar apenas na promessa, ela faz a roda girar e nos entrega a passos largos, com deliciosas doses de emoção, episódios memoráveis que certamente ficarão marcados entre os de maior destaque de toda a série.

[Spoilers]

Nesta temporada, podemos acompanhar a ascensão do ressurrecto Jon Snow (Kit Harington) e, com isso, a catarse de vermos a maltratada família Stark ter um pouco de redenção. Do outro lado de Westeros, Daenerys (Emilia Clarke), com Tyrion (Peter Dinklage) como conselheiro e várias novas alianças, ganha forças para finalmente invadir Porto Real e retomar o Trono de Ferro para os Targaryens. E em meio a tudo isso, os Lannisters tentam segurar como podem seu reinado.

Talvez o maior feito deste sexto ano seja o de costurar tramas para um grande desfecho iminente. Os responsáveis pela adaptação, David Benioff e D.B. Weiss, agora explorando terrenos que vão além dos livros escritos até o momento pelo VOVÔ MARTIN, foram brilhantes na forma como amarraram diversas pontas soltas e derrubaram peões, limpando o tabuleiro para que os personagens de maior destaque assumam ansiadas posições.

Com um investimento cada vez maior da HBO – morta de feliz pelos números de audiência – faço questão de destacar o que para mim foi o ponto máximo de toda a série: a Batalha dos Bastardos. Nunca se viu na televisão – e nem no cinema – uma sequência de batalha tão grandiosa. Fiz inclusive questão de gravar o nome do diretor do episódio, Miguel Sapochnik, que também comandou o final da temporada. A construção da sequência inteira é impressionante, com cenas que imediatamente grudaram no meu cérebro para, com toda certeza, não sair mais.

Depois de confirmados os rumores de que as próximas duas últimas temporadas terão menos episódios, seus criadores dão indícios do interesse por lapidarem uma trama ainda mais enxuta, focando no que definitivamente interessa. Se o que vier pela frente for no mesmo nível do que presenciei este ano, assim como a pequena Lyanna Mormont (Bella Ramsey) proclamou sua lealdade ao novo Rei do Norte, defenderei sempre com paixão a esta imersiva série inspirada n’As Crônicas de Gelo e Fogo.

 

Notícias relacionadas

Deixe aqui seu comentário