30/06/2016 por Paulo de Tarso

Festa junina tem que ter bolo pé de moleque

Comida típica da culinária nordestina, é feito a partir da mistura de rapadura com puba de mandioca

bolo-pe-de-moleque-1371142708118_1024x768

Bolo pé de moleque é tradição no Nordeste (Foto: Divulgação)

As festas juninas nordestinas, além da grande animação, contam com diversas comidas típicas, umas criadas e originárias aqui mesmo no Nordeste.

Uma dessas comidas que não podem faltar numa festa junina é o bolo pé de moleque, feito a partir da nossa rapadura; de preferência a rapadura preta e da massa puba de mandioca (fermentada), podendo ser acrescido cravo, gengibre, castanha de caju e erva-doce.

O Bolo Pé de Moleque chegou à Europa na Alta Idade Média, trazido pelos árabes em suas incursões à península itálica e à península ibérica, originário antes da nossa rapadura. Em Portugal, utilizava-se o mel de abelha, o “nogat” (nome que veio do francês).

Veja como fazer um Bolo Pé de Moleque bem nordestino:

Ingredientes:

– 6 Ovos

– 1 Kg de massa Fubá de mandioca

– 450g de margarina

– 750g de açúcar

– 500ml de leite de coco

– 2 Colheres de chá de fermento (não muito cheia)

– 200g de castanha assada

– 3 Colheres de sopa de café solúvel

– Erva doce

– Cravo

– Sal a gosto

Modo de preparo:

– Primeiro bata o açúcar e a margarina.

– Junte os ovos e acrescente a massa de mandioca, o leite de coco e o restante dos ingredientes.

– Misture bem.

– Depois faça o café e reserve.

– Faça o chá com erva doce e cravo. Reserve.

– Junte o café solúvel e o chá de erva doce e cravo coado e misture aos ingredientes.

– Untar uma forma de aproximadamente 40cm retangular em forno moderado por cerca de um hora. A quantidade de café solúvel é até a massa ficar marrom escuro.

– E para não ficar ressecado ou quebradiço acrescente 150g de goma de mandioca, assim o pé de moleque fica bem molhadinho.

O nosso pé de moleque
No São João não vai faltar
É presença garantida
É comida popular
Nossa receita está aí
Você pode aproveitar.


Paulo de Tarso
Paulo de Tarso Bezerra Gomes (Paulo de Tarso, o poeta de Tauá), nasceu em 28 de abril de 1963, na Fazenda Confiança, Tauá-Ceará. O poeta tem mais de setenta cordéis publicados com variados temas: Luiz Gonzaga, Patativa do Assaré, Rachel de Queiroz. Temas políticos e históricos, com destaque para o A Guerra de Canudos e o Herói Conselheiro, O Beato Zé Lourenço e o Caldeirão, entre outros.

Foi selecionado e premiado no Prêmio Mais cultura “Patativa do Assaré” – Com o Cordel “O Quinze” Baseado na obra da Raquel de Queiroz. Tem dois CDs de poesia é declamador, ministra oficinas de cordel, é membro do Centro Cultural dos Cordelistas do Nordeste – CECORDEL e Academia Tauaense de Letras. É um apaixonado pela poesia de cordel e pelo repente de bons repentistas.

Notícias relacionadas

Deixe aqui seu comentário