09/06/2016 por Então Pronto

Desconstrução e Criação: as bases do Lean Startup

O método tem cinco princípios bem claros e diretos: um deles é “empreender é administrar”

Mans hand drawing Startup concept on white notebook

O método Lean Startup tem como característica marcante a ruptura por meio desconstrução da forma usual de se desenvolver um negócio, para torná-lo um processo mais dinâmico, moderno e bem mais divertido.

No artigo desta semana, em que dou continuidade à série de textos sobre o método em questão, trarei dois conceitos extremamente importantes que são detalhados por Eric Ries em seu livro A Sartup Enxuta:

  • Os 5 Princípios do Método Lean Startup
  • Aprendizagem na Perspectiva do Lean Startup

Princípios do Método Lean Startup

O método do Lean Startup tem 5 princípios bem claros e diretos:

  1. Os empreendedores estão por toda parte: Todos podem ser empreendedores desde que estejam em qualquer organização criando novos produtos em um ambiente de extrema incerteza.
  2. Empreender é administrar: Antes de tudo, uma startup é uma organização, sob uma perspectiva de inovação e incerteza, logo requer um tipo de gestão apropriada.
  3. Aprendizado validado: A startup tem em seu DNA a necessidade da experimentação e validação contínua em seu modelo de negócio, que é feito de forma iterativa com seu cliente.
  4. Construir-medir-aprender: O método opera num ciclo de feedback contínuo de transformação de ideia em produto, validação com cliente e aprendizado para promoção de ajustes.
  5. Contabilidade para inovação: Medir progresso, desempenho, estabelecer marcos e focar aquilo que gera resultado.

Avaliando estes cinco princípios, identificamos claramente o dinamismo e a ruptura do método, pois coBUSSINES TEAMnsegue aliar aquilo que é empolgante no processo de empreender que é a criação com um métoddo mais ágil e claro para avaliar se aquilo que se está propondo é algo que seja sustentável e nitidamente identificado no ciclo construir-medir-aprender.

Outro aspecto muito interessante, se não o mais, é que o empreendedor pode estar em qualquer lugar, isso pode parecer um tanto quanto óbvio, mas não é, pois muitas vezes este conceito é carregado de estereótipos e tal abordagem rompe com isso fazendo-nos despertar para o fato de todos nós podemos ser transformadores, independente se sou um jovem desenvolvendo um aplicativo inovador ou um líder de projetos de uma grande empresa.

Tais princípios que compõem a identidade do método Lean Startup criam uma base sólida mas, ao mesmo tempo leve e fluida que abre nossas mentes para o que Eric Ries chama de administração do empreendedorismo.

Desaprendendo para Aprender

Recentemente em uma reunião de concepção de um novo produto, minha sócia usou um termo que quando o escutei, me veio instantaneamente como uma definição do conceito de aprendizagem para o método Lean Startup: Desaprendendo para Aprender.

Eric apresenta uma forma diferente de se abordar e enxergar o tema, cujo conceito definiu como: Aprendizagem Validada.

Tal conceito surgiu da constatação de que o processo de aprendizagem, muitas vezes, só é feito avaliando as coisas “pelo retrovisor”, como lições aprendidas daquilo que não se logrou êxito e que não se teve sucesso, o que muitas vezes gera frustração dos envolvidos; soa como uma desculpa ou mesmo vira uma “boa” história para uma palestra.

Portanto, o método convida a se desaprender a forma usual para enxergar e implantar a aprendizagem sob uma nova perspectiva para evitar se executar com maestria um plano de algo que não levará a nada. Mas, afinal, o que é a Aprendizagem Validada?

O referido conceito assume que como a startup está em um ambiente de extrema incerteza em que o dinamismo é crucial, a principal função da organização deve ser a aprendizagem; logo deve-se checar continuamente se a estratégia está funcionando ou se o que se definiu não é adequado, ou seja, é o princípio 4 do método operando em sua plenitude; o ciclo construir-medir-aprender. É também o que Steve Blank formulou no seu método desenvolvimento de clientes (apresentado no meu último artigo clique aqui), aplicando a constante experimentação e validação do produto com o cliente.

Sucintamente é desenvolver seu produto juntamente com quem irá consumi-lo, fazendo testes, avaliando receptividade, coletando feedbacks, conversando com o promovendo melhorias em um loop frenético de inovação.

Ecossistema

Conclusão

Os conceitos do método Lean Startup que foram tratados neste artigo são simples, porém poderosos, pois constituem as bases no qual ele é alicerçado.

Os 5 princípios estabelecem o DNA do Lean Startup partindo de uma afirmação libertadora, em todos os aspectos, de que os empreendedores estão em todo o lugar, abre nossos olhos para que possamos perceber o nosso potencial empreendedor para criar e desenvolver produtos sustentáveis.

Assumir que a aprendizagem é a principal função da organização, ao estabelecer um processo contínuo e estruturado de testes e feedback, definido pelo ciclo construir-medir-aprender, nos permite otimizar tempo e recursos para focarmos naquilo que realmente interessa e gera resultado.

Nos próximos artigos compartilharei mais conceitos e aspectos interessantes deste método de vanguarda que veio para ficar nos fazer desaprender para aprender.

Thiago Fernandes

Então Pronto! – Participações & Negócios

Notícias relacionadas

Deixe aqui seu comentário