03/03/2017 por Jane Alves

Comunicar-se Empaticamente é Característica de Pessoas com Autoestima Elevada

Resolva conflitos com facilidade, só utilizando comunicação empática.

Resolva conflitos com facilidade, só utilizando comunicação empática

Vamos ver se consigo adivinhar:

Θ Uma pequena discussão se transforma em uma briga pesada pelas palavras mal utilizadas?

Θ  Está incomodada com alguma situação mas tem medo de “expor” para a pessoa amada  e perder o relacionamento?

Θ  Você costuma ir para a cama ruminando, mastigando raiva por ter deixado de dizer o que te incomoda?

Tudo pode mudar começando se você começar a usar a Comunicação Empática – Conhecida também por comunicação não violenta.

“Comunicação não violenta é uma metodologia poderosa para comunicar de uma maneira que atenda às necessidades de ambas as partes. Traz uma forma mais amorosa, compassiva e não-violenta de compreensão e relação com os outros.

É uma ferramenta poderosa para a paz, ele ajuda a libertar-nos de padrões antigos de violência, potencial transformador conflitos em diálogos pacíficos.

Nos mostra como ouvir enfática e também comunicar os nossos sentimentos e necessidades autênticas. CNV conecta alma para alma, criando um monte de cura.”

Marshall Rosenberg – “Nonviolent Communication: A language of life”

Esse livro é tão interessante e com tanto conteúdo que simplesmente não consegui resistir e resolvi escrever esse post.

O objetivo é para trazer para você 05 técnicas simples, porém, poderosas para resolver qualquer situação de conflito.

Imagine dizer tudo que quer de uma forma que não desgaste seu relacionamento e não te deixe com “aquilo atravessado”?

Sim é possível.

Vamos então as 05 lições:

#Lição 01: Evite dizer…

“Você me fez sentir  [triste],
“Me sinto [arrasada] por você ter feito isso”,
“Você está me deixando [nervoso]”.

Quando se comunica dessa forma, atribui-se ao outro a responsabilidade pelo que você está sentindo.

A outra parte então, pode se sentir culpada ou na defensiva, ou seja, talvez sinta uma certa culpa e ao mesmo tempo injustiçado.

Utilizando Comunicação Não violenta:   “Quando você [não atendeu o telefone], me senti [preocupada], pois precisava [falar com você].

Aqui você está apontando o comportamento e não a pessoa. Isso tem um efeito psicológico e deixa mais aberta a outra parte a pensar sem reagir sobre o que foi feito.

#Lição 02 – Evite forçar a barra

“Quero que você me compreenda”.

Se estiver se expressando dessa forma, quem recebe sua mensagem fica aberta a interpretar essa expressão como um autoritarismo de sua parte.

Pois além de não expressar claramente o que está sendo solicitada ainda soa como dúvida da capacidade de entendimento do interlocutor.

Utilizando Comunicação Não violenta: “Quero que você repita para mim o que você me ouviu dizer”.

Aqui você terá certeza que não haverá mal-entendido no que pediu ou informou. Evita desgastes e assegura que a outra parte te entendeu completamente.

#Lição 03 – O “NÃO” não entendido.

“Não quero que chegue atrasado (fume, desobedeça) mais”

O nosso sistema cognitivo (a maneira como interpretamos e processamos as informações) deixa passar o “NÃO” e reforça no outra o comando de, nesse caso, chegar atrasado.

Quer entender como? Simples, agora, eu vou pedir que você NÃO pense em lasanha.

No que você pensou agora? Lasanha

Utilizando Comunicação Não violenta: “Quero que você procure chegar no horário, pois é muito importante para nossas atividades.”

 #Lição 04 – Seja direto em sua comunicação

“Por favor, tente ver o meu lado e entender o que eu estou sentindo”

Essa é a forma mais direta e fácil de acabar com uma discussão e buscar a empatia do outro.

Chamando a atenção para sua posição, o seu ponto de vista, é muito mais fácil que o outro se coloque em seu lugar e compreenda seu ponto de vista.

Não é garantia de que o outro concorde com você, entretanto, é uma forma mais tranquila de chegar a um acordo.

#Lição 05 – Assuma sua responsabilidade

“Eu sei que tenho também responsabilidade nisso tudo. “

Quando você assume que uma discussão, comunicação e relacionamento tem dois lados, assume que tem responsabilidade sobre o resultado que está tendo.

Analise bem a situação e veja quais os seus comportamentos que colaboraram para aquela situação negativa.

O fato de se omitir muitas vezes já é uma ação contrário à de resolução de conflitos.

 E para complementar essas dicas, existe comportamentos na nossa comunicação, que ao invés de gerar empatia e conexão, é um verdadeiro desastre – gerando bloqueio de comunicação de ambos os lados.

Para melhorar nossa comunicação, devemos evitá-los.

A seguir estão alguns exemplos desses obstáculos:

1. Aconselhar: “Acho que você deveria … “, “Por que é que você não fez assim?”

2. Competir pelo sofrimento: “Isso não é nada; espere até ouvir o que aconteceu comigo”.

3. Educar: “Isso pode acabar sendo uma experiência muito positiva para você, se você apenas … “

4. Consolar: “Não foi sua culpa, você fez o melhor que pôde”.

5. Contar uma história: “Isso me lembra uma ocasião … “

6. Encerrar o assunto: “Anime-se. Não se sinta tão mal”.

7. Solidarizar-se: “Oh, coitadinho … “

8. Interrogar: “E porque que você fez isso?”

9. Explicar-se: “Eu teria telefonado, mas … “

10. Corrigir: “Não foi assim que aconteceu”.

Eu sei por experiência que parece mais difícil do que realmente é, mas posso afirmar com toda a convicção, que implementando dia a dia, pouco a pouco, você perceberá como conflitos e mal entendidos farão parte do passado.

Quais desses pontos achou mais interessante? Deixe um comentário abaixo e compartilhe suas opiniões.

Fonte: Marshall B. Rosenberg e Holley Humphrey – Comunicação Não Violenta, Técnicas para aprimorar relacionamentos.


Jane Alves
Coach para Mulheres, criadora do Blog: Seja você o grande amor da sua vida!
Meu propósito é fazer com que você mulher se reconheça digna de um grande amor, começando por VOCÊ. Eu acredito que o verdadeiro caminho de transformação é o autoconhecimento, afinal, só se ama quem se conhece. Meu objetivo é apoiá-la para mudar seus padrões de amor e assim prepará-la para atrair e viver o grande amor que sempre sonhou.

Notícias relacionadas

Deixe aqui seu comentário