22/03/2016 por Débora Britto

Família Brennand, nobres que deram a Pernambuco grande legado cultural

A história da vida e da arte da família Brennand pode ser conhecida no Instituto Ricardo Brennand e na Oficina Cerâmica Francisco Brennand

O Instituto Brennand traz 3 mil armaduras produzidas na Europa e na Ásia. (Foto: Erik Farina/Agência RBS)

O Instituto Brennand traz 3 mil armaduras produzidas na Europa e na Ásia. (Foto: Erik Farina/Agência RBS)

Vinda da Inglaterra em 1920, a família Brennand é conhecida como uma das mais ricas do nordeste brasileiro. Há séculos atrás, integrantes do clã escolheram o estado de Pernambuco para dar continuidade à sua história.

Os negócios da família vão de usinas de cana-de-açúcar a fabricação de materiais de construção, que podem ser observados nos casarões à beira-mar de Pernambuco.

Quem chega à Recife não pode deixar de visitar as obras de arte da família Brennand. Elas ficam expostas em duas grandes áreas do Instituto Ricardo Brennand, um complexo de castelos em estilo medieval incrustado na Várzea, um dos bairros mais tradicionais da capital pernambucana. Além disso, o local apresenta um estilo gótico, uma pinacoteca, jardins, parque de esculturas e uma coleção de obras de arte.

Outro atrativo da família Brennand é a Oficina Cerâmica Francisco Brennand, uma antiga oficina de cerâmica, que fica a poucos quilômetros de lá. Podem ser encontrados os ricos e variados acervos dos primos Ricardo e Francisco Brennand.

Os castelos que integram o Instituto reúnem as coleções de obras dos Brennand. São réplicas como a de David, de Michelangelo, estátuas de guerreiros e deuses greco-romanos, a maior parte esculpida no século XIX, pinturas e tapeçarias produzidas no Brasil nos séculos XVII e XVIII e uma variedade de utensílios medievais e renascentistas, como moedas, cristaleiras e mapas.

No local, ainda pode ser encontrada a maior coleção particular de obras de Frans Post, uma das maiores referências entre pintores a retratar o Brasil Holandês (período de 1630 até 1654). No hall principal, os visitantes são recepcionados por uma biblioteca com 60 mil documentos e livros raros e um cenário de cera de julgamento ocorrido na França no século XVII.

Os fãs de grandes batalhas medievais podem apreciar no Castelo São João uma grande coleção de mais de 3 mil armas e armaduras produzidas na Europa e na Ásia entre a Baixa Idade Média e os anos 1900.

Ao deixar o castelo e seguir por uma estrada de terra batida, o público encerrar o passeio na Oficina Brennand, uma fábrica de cerâmica de 1917, que recebeu a forma do trabalho do escultor contemporâneo Francisco Brennand. Ele deu vida ao local, por meio de lajes, e criou sua própria versão de um templo oriental, inspirado no mausoléu de Taj Mahhal, na Índia.


Débora Britto
Estudante de Jornalismo e radialista, Débora Britto inciou seu trabalho em comunicação na AM Pitaguary e passou por tantas outras. Em 2006, apresentou o programa Futebol de Salto Alto na extintaTransamérica Hit’s Ceará. Em seguida, o projeto foi para a Cidade AM 860, onde também realizava cobertura da Assembleia Legislativa do Ceará para o programa diário Notícias na Cidade, apresentado por Flávio Moreira. Em paralelo, apresentava o Encontro Tropical, programa musical vinculado a FM Tropical (atual Beach Park FM), emissora que fazia parte do Sistema Cidade de Comunicação. Nesse período, também trabalhou como assessora parlamentar de comunicação. Na rádio FM Expresso (atual FM Expresso SomZoom Sat), comandou o Futebol de Salto Alto por 1 ano. O amor pelo esporte a levou a participar do Programa Café com Bola, onde dividia o comando da atração com Guido Albuquerque. Sua experiência na tv foi com o programa Take, na TV Ceará. Atualmente, além de fazer parte dos quadros no portal de notícias Norteando Você, Débora faz parte da equipa da rádio do legislativo cearense, FM Assembleia e é repórter esportiva do programa Expresso em Pauta, da rádio Expresso SomZomm Sat.

Notícias relacionadas

Deixe aqui seu comentário